Central de atendimento
+55 (51) 3272.3388
WhatsApp
+55 (51) 98183.9051

Cotação-Grupos
Atualizado em 21/05/2019 Dolar R$ 4,27
Euro R$ 4,78

BLOG

de ,
Compartilhe
FacebookTwitterEmail

[Especial de Páscoa] Vamos refazer, juntos, o caminho de Jesus pela Via Dolorosa?

Todo ano, na Semana Santa, os cristãos participam em suas paróquias da conhecida Via Sacra.

Mas já imaginou poder refazer o mesmo caminho que Jesus percorreu da sua condenação até a crucificação, pelas mesmas ruelas apertadas, barulhentas e sinuosas de Jerusalém?

Nesta semana especial, convidamos nossos leitores a percorrer com a Unitur as quatorze estações da Via Dolorosa, na Terra Santa, conhecendo os detalhes e a história que cada uma reserva.

Nove das estações ficam nas ruas mesmo, em um percurso de cerca de 600 metros. As 5 últimas ficam localizadas dentro da Igreja do Santo Sepulcro. Pelas ruas, você pode imaginar muitos peregrinos com cruzes de verdade nas costas, rosários e também muitos comerciantes e vendedores, em um cenário confuso, mas bem parecido com o que Jesus deve ter enfrentado naquela sexta-feira, já que era Pessach e a cidade também estava cheia.

Vamos juntos?

 

1ª estação: a condenação de Jesus 

Nosso caminho começa onde Jesus foi condenado por Pôncio Pilatos, local de funcionamento da antiga Corte Romana, hoje marcada pelo Lions Gate. O local exato, na verdade é o pátio de um colégio árabe e por isso a visitação não é permitida.

2ª estação: Jesus carrega a cruz 

Logo em frente, nos deparamos com a segunda estação, com duas marcações: a Capela da Flagelação e a Capela da Condenação. Elas representam onde Jesus foi flagelado pelos soldados romanos, onde recebeu a coroa de espinhos e também onde Jesus foi açoitado e começou a carregar a pesada cruz. Neste local, o acesso é gratuito, mas a entrada é permitida de poucos em poucos.

Faça o download gratuito do nosso infográfico: Tudo o que você precisa saber antes de conhecer a Terra Santa! 

3ª estação: Jesus cai pela primeira vez

No final da rua, em uma esquina, está o local onde relembramos a primeira queda de Jesus com a cruz. Ali, podemos observar uma pequena igrejinha católica armênia, toda restaurada e onde vemos uma imagem representando a queda.

4ª estação: Jesus encontra sua mãe

Bem ao lado da terceira estação, já vemos a quarta, bem na entrada da Igreja de Nossa Senhora do Espasmo. Ali aconteceu o encontro emocionante entre Jesus e sua mãe, Maria. A igrejinha é simples, mas sempre cheia de visitantes.

5ª estação: Simão Cireneu ajuda Jesus a carregar a Cruz

Na quinta estação relembramos o momento em que Jesus é ajudado por Simão Cireneu, por ordem dos soldados, a carregar a cruz. A estação fica em um pequeno oratório franciscano, onde há uma cavidade que de acordo com a tradição teria sido o local onde Jesus apoiou a mão ao passar por ali.

6ª estação: Verônica enxuga o rosto de Jesus 

Outra pequena capela sinaliza o local da sexta estação, a capela de Santa Verônica de origem greco-católica. Isso porque foi Verônica a enxugar o rosto de Jesus, repleto de sangue e suor. O pano que ela usou para fazer isso ficou marcado com o seu rosto e é venerado como Santo Sudário por cristãos do mundo inteiro.

7ª estação: Jesus cai pela segunda vez

Nos aproximamos então do Portão do Julgamento, uma antiga muralha onde eram colocadas as acusações dos condenados a morte. Ali Jesus começa a sair da cidade em direção ao Calvário e é onde também ele cai pela segunda vez. Uma capela franciscana conserva uma coluna que marca o local exato da queda.

8ª estação: Jesus consola as mulheres 

O local, quase imperceptível, marcado por uma pedra com uma cruz latina na parede do mosteiro ortodoxo grego de São Caralampo, indica o local onde Jesus teria consolado as mulheres que o acompanhavam durante a Via Dolorosa. Uma inscrição na pedra diz: “Jesus Cristo Vence”. 

9ª estação: Jesus cai pela terceira vez 

Essa estação emociona pois daqui podemos avistar a Basílica do Santo Sepulcro ao fundo e uma coluna com uma cruz de madeira apoiada. Aqui Jesus caiu pela terceira vez.

Agora, as demais estações ficam localizadas dentro da própria Basílica.

10ª estação: Jesus é despido de suas vestes

Já dentro do complexo da Basílica, mas do lado de fora, no alto de uma escada fica uma capela que marca o local onde Jesus foi despido de suas vestes.

11ª estação: Jesus é pregado na Cruz 

Agora já estamos dentro da Basílica. Mesmo cheia de gente, a emoção toma conta. Na décima primeira estação, subindo uma escada do lado direito, chegamos a mosaico no teto que marca onde Jesus foi pregado na Cruz.

12ª estação: crucificação e morte de Jesus 

Chegamos ao local onde a cruz foi erguida e onde relembramos a crucificação e morte de Jesus. Um disco prateado, embaixo de um altar, simboliza o buraco feito pela cruz, e logo ao lado, placas de mármore indicam as cruzes dos ladrões que foram crucificados lado a lado com Jesus.

13ª estação: Jesus é retirado da cruz 

Local de grande emoção, a 13ª estação é a marcada pela Pedra da Unção, onde Maria teria retirado Jesus da cruz e o preparado para o sepultamento, com uma mistura de mirra e óleos.

Muitos peregrinos beijam e se debruçam sobre a Pedra, pedindo bênçãos.

14ª estação: Jesus é sepultado 

Por fim, levados por uma grande emoção, chegamos à estação que relembra onde Jesus foi sepultado. O espaço é bem pequeno, uma câmara estreita no vão central da grande Basílica. No local exato, está um fragmento que segundo a tradição é um pedaço da grande pedra que selou o túmulo.

Gostaram da nossa emocionante viagem pela Via Dolorosa? Certamente, ela nos ajudará a viver ainda com mais intensidade essa Semana Santa.

 

Uma Feliz Páscoa a todos vocês!