BLOG

de ,
Compartilhe
FacebookTwitterGoogle+Email

Machu Picchu e suas curiosidades: a cidade perdida de um povo fascinante!

Quem já visitou Machu Picchu sabe que a emoção de estar no local em grande parte se reserva ao contato com algo tão antigo, tão grandioso e cheio de espiritualidade.

Maravilha do Mundo! 

A cidade perdida dos Incas, também conhecida como “velha montanha” recebe aproximadamente 2.500 visitantes por dia e é considerada uma das novas 7 maravilhas do Mundo.

Localizada a 2.400 metros de altitude no vale do rio Urubamba, as ruínas da cidade guardam muitos mistérios e também muita história para contar.

Mesmo se a construção data do século XV, Machu Picchu foi “descoberta” apenas em 1911, pelo pesquisador americano Hiram Bigham. O fato é controverso, seja porque há relatos de outros estrangeiros que estiveram em Machu Picchu antes, seja pelo fato de Bigham ter explorado a região, levando para os EUA boa parte das relíquias, que apenas nos anos 2000 foram devolvidas ao governo peruano.

Relíquias que compunham uma cidade dividida em duas grandes áreas. Uma agrícola, formada por terraços e locais para armazenar alimentos e uma urbana, com seus templos, praças e mausoléus.

O setor urbano tinha cerca de 200 habitações e abrigava por volta de 400 pessoas. Pesquisadores acreditam que a maioria nobres, sacerdotes, cientistas e alguns populares.

Astrônomos e engenheiros de primeira

Os incas são famosos por seus conhecimentos astronômicos. Característica que também é possível observar em Machu Picchu.

Ali, o Templo do Sol encanta com sua única janela que, todos os anos, exatamente às 7h15 de 21 de junho, fica completamente iluminado pelos raios do sol. Esse fenômeno marcava o início do inverno para os Incas. Além disso, a área agrícola demonstra que eram capazes de calcular com precisão os solstícios e equinócios, fundamentais para o plantio na agricultura.

Mas não foi só a astronomia que deu fama aos incas e a Machu Picchu.

Não há quem não se impressione com uma engenharia tão rebuscada em pleno século XV. As pedras utilizadas na construção da cidade, por exemplo, eram cortadas com ferramentas primitivas, mas eram colocadas umas sobre as outras com tamanha técnica que não era necessário argamassa para uni-las.

Logo na entrada da cidade é possível observar uma dessas pedras, com quase 2 metros de altura e que provavelmente deve ter funcionado como relógio solar ou calendário.

Mesmo situada em uma montanha sismicamente instável, Machu Picchu, com sua engenharia de excelência não sofreu como Lima e Cuzco aos eventos geológicos da região, mantendo suas construções intactas.

No sítio de Machu Picchu foram encontrados 164 corpos mumificados, sendo 102 mulheres, 22 homens, 7 meninas e 4 meninos.

Já imaginou ter no seu checklist uma das 7 maravilhas do mundo? Venha com a Unitur conhecer Machu Picchu!