Voltar para a listagem de postagens

Roteiros de fé: a Basílica do Santo Sepulcro para os cristãos

Jerusalém é sem dúvidas um dos destinos mais especiais no mundo, por concentrar a religiosidade de cristãos, muçulmanos e judeus.

Para os cristãos, um passeio sempre procurado é aquele da Via Sacra, que percorre os últimos locais por onde Jesus passou até ser morto e crucificado. O ponto alto desse roteiro percorrido a pé é a Igreja do Santo Sepulcro, que também abriga da 10º à 14º estação da Via Sacra.

De acordo com a tradição cristã, o Santo Sepulcro marca o local onde Jesus teria sido morto, crucificado e sepultado.

Nesses mais dois mil anos foram muitas as intervenções no local. Antes de ser apontado pela rainha Helena, mãe de Constantino, como o local da morte de Jesus, o espaço já tinha sido um antigo templo romano. Sob os escombros do templo, teria sido encontrado o túmulo de José de Arimateia, que aparece em um relato da Bíblia como aquele que pediu a Pilatos para retirar o corpo de Jesus da cruz e o teria sepultado.

O que está de pé hoje, guarda pouco da construção original, da época de Constantino. A maior parte do que se vê hoje data do séc. XII.

Uma curiosidade é que a Basílica possui apenas uma porta. Logo depois dela, os peregrinos se deparam com a Pedra da Unção, onde de acordo com a tradição o corpo de Jesus haveria sido preparado para a crucificação.

Um dos espaços mais visitados da Basílica é a 12ª estação, que representa o lugar onde teria sido colocada a cruz onde Jesus foi crucificado. Os cristãos têm a oportunidade de tocar na Pedra do Calvário, que geralmente emociona muito os peregrinos.

O coordenador de grupos internacionais da Unitur, Diego Miranda, teve a oportunidade de morar em Jerusalém.

“Visitar a Basílica do Santo Sepulcro foi um dos momentos mais marcantes da vida. Ali Jesus Cristo foi crucificado e sepultado. Uma ocasião única de unir também minhas dores físicas e espirituais à Sua para junto redescobrir o mistério do Amor”, disse.

Mas Diego também recorda fatos curiosos.

Existe um tratado entre as Igrejas que administram a Basílica que não permite entre outras coisas, mudanças significativas na estrutura física. Uma curiosidade é uma escada que fica apoiada no exterior da Basílica e não pode ser retirada. Este tratado é conhecido como o “Status Quo“, complementa.

 

O Santo Sepulcro em si é um espaço bem pequeno dentro da Basílica que recebe em geral 4 pessoas por vez.

No entanto, pela devoção das pessoas, orações e preces que são ouvidas em diversas línguas, e tradição histórica o lugar reserva algo de muito especial e comovente, experimentado apenas por quem visita.

Embarque com a Unitur para conhecer Jerusalém na companhia de um guia especializado no roteiro.

 

As belezas das cidades onde santa Teresa de Ávila passou na Espanha

As cidades históricas de Castilla y Leon e os 500 anos de uma santa espanhola. Por: PEDRO PAVAN* A cada passo, calçadas, ruas, praças e templos transpiram história. Locais que carregam as marcas da santa espanhola Teresa de Jesus, ou Teresa de Ávila, como é mais conhecida no Brasil. Assim é a comunidade autônoma (Estado) […]

Leia mais

Capadócia: descubra a terra de São Jorge

Muito venerado entre os brasileiros, como exemplo de fé, coragem e persistência, São Jorge tem suas raízes na Capadócia, Turquia, considerada o segundo berço do cristianismo. Como viveu em uma época de muita perseguição, muitos documentos a seu respeito foram destruídos e, por isso, boa parte do que se sabe provém da tradição popular. A […]

Leia mais

Um tour completo pela Basílica da Natividade, em Belém

Com a aproximação do Natal, que tal conhecer um pouco mais sobre a Igreja que demarca o local onde Jesus nasceu, de acordo com a tradição cristã? A Basílica da Natividade, em Belém, é atualmente a igreja mais antiga do mundo ainda em atividade. Sua construção teria sido iniciada em 339 d.C e finalizada em […]

Leia mais

Vivências

Assine nossa Newsletter

Fique por dentro das nossas novidades!